24 abril, 2016

Ser Feliz

Quando era miúda e me perguntavam o que queria ser, aquilo que me vinha ao pensamento era ser feliz...
Quando era miúda e fazia desejos à primeira estrela da noite ("primeira estrela que vejo, realiza o meu desejo") os meus primos desejavam coisas e eu desejava ser feliz...
Não faço ideia do que pensava ser a felicidade nessa altura, até porque era uma miúda muito feliz, mas era o que me vinha à cabeça... 
E nos anos seguintes, cada soprar de velas, cada estrela cadente, cada desejo de ano novo, era sempre esse o meu primeiro pensamento.
A uma certa altura, vi algo que me surpreendeu.
 Alguém disse que as pessoas têm o mau hábito de estabelecer para si objectivos inatingíveis. E ser feliz não é fácil, pois é um estado constante... Aquilo que nos faz sentir felicidade é sentirmos tristeza a contrabalançar...
Um dia, aprendi que estou feliz. Um dia aprendi que não faz mal estar triste. Não sou fraca ou menos evoluída que ninguém... Irei saborear essa felicidade com intensidade pois sei que, apesar de passageira, é real. 
Mas o engraçado, é que continua a ser o meu primeiro pensamento quando faço um desejo...
 Oh well, old habits die hard!...

15 abril, 2016

És Mesmo Totó

Sou boa pessoa. A sério, sou boa pessoa. 
Acredito, de coração que as outras pessoas também são boas (eu sei...)
Até descobrir que não!
Custa-me a acreditar que alguém faz maldades e provoca mal a outros intencionalmente... 
Não é que seja ingénua, sei o que são as pessoas, e já me fizeram mal o suficiente para saber que existem pessoas más, invejosas, de mau carácter e capazes de muito para conseguirem o que querem, mas como seria incapaz de ter esses tipos de pensamentos ou ter essas atitudes, custa-me aceitar que alguém me prejudique porque sim, seja mau porque sim.
Pensei muito sobre isto, e tentei perceber como, não sendo ingénua, continuo a acreditar que as pessoas são intrinsecamente boas...
 E chego à conclusão que não sou ingénua mas sim totó. 
Uma totó à séria, daqueles que quase prefere não ver a realidade para não ser mudada por ela.
As minhas amigas já me disseram que é verdade. Que na verdade não sabem como não aprendi já, com tudo o que já passei, e como consigo agarrar-me a esta ideia que as pessoas são boas.
As outras pessoas, as que me desiludiram, "atraiçoaram" ou simplesmente mostraram mau íntimo, passaram pela minha vida como uma tempestade: fizeram mossa mas não mudaram aquilo de que eu tenho mais orgulho,quem eu sou.
A  verdade é que as poucas que eu tenho a honra de ter como amigas são também aquelas que o meu instinto nunca pôs em causa, quem eu sempre soube serem boas pessoas, leais, verdadeiras e verdadeiras amigas.

22 março, 2016

Trabalho Social - Higiene Íntima



Dicas para todas as mulheres... Principalmente as que gostam de arranjar desculpas... E para as mães... Que estão a ensinar as filhas...

11 março, 2016

04 março, 2016

Puto esquisito

Eu era uma míúda terrível para comer.
Não gostava de quase nada e não experimentava nada. A minha mãe falava sempre disso com um ar de desgosto e sofrimento.
 E agora pago eu pelo que a fiz passar.
O meu puto é a criança mais difícil que eu já vi. Não que não coma, que até come, mas porque quer comer sempre a mesma coisa, e qualquer coisa fora disso é um drama.
Por ele era nuggets todos os dias. Ou bifinhos com cogumelos, mas não podemos dizer que tem natas, porque ele não gosta de natas, é molho de cogumelos. Até gosta de peixe assado mas tem que ser dourada ou salmão. Só. Até aí ele punha ketchup, se eu deixasse. 
Aliás, por ele era tudo com ketchup.
Iogurtes, só se forem duma certa marca. Leite também não gosta de qualquer um. E o pão? "Este sabe ma!" É pão! Pão é pão! Sabe a pão! E eu sou esquisita com pão, mas isto é um exagero.
Prefere passar fome a provar uma comida que nós sabemos que vai gostar.
E para cúmulo, gosta de tudo diferente da irmã, o que facilita imenso a hora das refeições.
Para quem, como eu, tem estes problema, partilho estas dicas
 de como facilitar a vida destes mostrinhos da comida que nós adoramos mas queremos esganar de vez em quando. Coisas fofas. Riquezas da mãe.

Este Blogue Não Morreu

  
Mas precisa de ser ressuscitado!
Depois das passas do algarve vem a Guerra.
Voltei ao trabalho e não sei muito bem para onde me virar. Mas vou voltar aqui.
É uma promessa. A mim e a vocês. E eu cumpro o que prometo.

22 fevereiro, 2016

Andando e Aprendendo - 5 Heel Hacks



Sou uma utilizadora assídua de saltos altos e portanto conheço alguns truques...
Aliás, das poucas vezes que me esbardalhei (como os meus filhos tanto gostam de dizer) foi de saltos rasos, algo que, claramente, não domino.
Aqui estão alguns truques para as menos aficcionadas em sapatos...

21 fevereiro, 2016

Review Revitalift Laser X3 da L'Oreal


De vez em quando recebem-se uns miminhos que se transformam em verdadeiras surpresas...
Já estava a usar o creme de olhos Revitalift Laser X3 e estava contente com ele, apesar de não ter resultados extraordinários nas minhas olheiras.
Quando a Youzz e a L'Oreal me enviaram este creme de dia foi... revelador. 
Eu andava a fazer uma vaquinha para comprar um daqueles cremes caros, de perfumaria, para ver se a minha pele tinha um aspecto mais saudável, apesar de não ter realmente do que me queixar... Queria só uma pele mais bonita, com ar mais jovem, mais radiante.
E este creme deu-me isso. As linhas de expressão ficam mais atenuadas, mesmo aquelas perto dos olhos, e a pele parece mais radiante, mais saudável, sem dúvida devido à adição de Pro-XylaneTM concentrado, na qual os laboratórios L'Oreal apostaram neste conjunto de cuidados de beleza.
Que boa surpresa, num creme que se pode comprar no supermercado, com um preço acessível.
Apesar de uma textura compacta, é rapidamente absorvida pela pele e nada gordurosa, deixa a pele bem hidratada sem a deixar brilhante... 
Esta é sem dúvida uma boa aposta de um creme diário anti-rugas!Laser X3 
Ainda a recuperar da minha cirurgia às amígdalas, fiz um pequeno vídeo (em silêncio) de como aplico este creme, que por ter uma textura mais compacta, gosto de espalhar e aquecer primeiro nas mãos em vez de aplicar directamente na pele.. 
   
Foi o melhor que se arranjou...

17 fevereiro, 2016

Vamos Jogar à Cirurgia? Not.

 
   Já tinha tido infeções nas amígdalas, coisas feias, muito graves. Os médicos decidiram que o melhor era ser operada o mais rápido possível, antes de fazer uma nova infeção e de isso ter repercussões mais graves na minha garganta. Toda a gente comentou o difícil que era a recuperação (menos os médicos), mas pronto. Era urgente , tinha que ser feito (ainda adiei 2 meses), e portanto fui tirar as amígdalas.
 
Primeiro, era uma cirurgia em ambulatório, analgésicos durante 3 dias, comida fria e mole e repouso, incluindo falar pouco.
Começámos logo mal.
Fui operada no "meu" hospital, por isso as pessoas sabiam que eu era "da casa". Muita descontração, pouca informação. Fui internada de manhã, o que estranhei, já que as outras cirurgias que fiz de ambulatório, só entrei mesmo antes de ser operada.
Fui operada por volta da hora do almoço, completamente esganada de fome, e quando acordei da anestesia super bem tratada, por enfermeiras que conheço muito bem. Só quando me disseram que podia ir para cima, para o internamento é que comecei a ficar nervosa.
Se ia para cima, é porque ainda ia demorar por ali. Sem telemóvel, sem poder falar com ninguém... Eu só queria voltar para casa...
Quando, passadas 2 horas, a enfermeira me diz finalmente que tenho de ficar lá durante a noite...
Nem sei explicar os nervos que me assolaram...
As visitas de amigas que trabalham comigo ajudaram ( a rir, o que suspostamente não deveria fazer...) e o apoio do T., que deixaram ficar lá até mais tarde do que é suposto, ajudaram-me a passar a noite.
Mas a parte pior foi quando por volta das 19h30 me trouxeram uma sopa gelada com uma palhinha... Aí, vi o que me esperava nos próximos dias!
Já disse que não como nem bebo nada frio, nem no verão?!
Portanto, tenho dores na garganta e boca e o que me trata, provoca-me dores de cabeça e dentes?! Isto só pode correr bem...
No dia seguinte, lá me deram alta, depois de ter jantado chá frio, ter bebido chá frio ao pequeno almoço e um copinho de leite gelado ao almoço...
E então começou a aventura em casa... Os três dias de analgésico falados pelo médico são uma brincadeira: nos primeiros 4 dias tive que tomar Ben-U-Ron em xarope de 6 em 6 horas, já em sofrimento. 
Os meus filhos acharam que o momento em que ia tomar o antibiótico - Clavomox, o grande pesadelo nojento para eles - era um momento de cinema para rir e ficaram visivelmente desiludidos quando não me custou nada a tomar... (Se eles soubessem que estava a ter essa reação com o ben-u-ron, que eles adoram!...)
E depois, a comida. Leite frio que me dava dores de cabeça, sopa líquida fria que me dava dores de dentes, iogurtes que me davam azia, tudo correu bem (whaaaat?!).
Lá me safei com o pudim flan Mandarim a partir do 6º dia, os ovos mexidos frios no 7º, as maçãs assadas a partir do 8º, e assim mantive até hoje, quando comi...
Resultado de imagem para drumroll gif 
Massa fria. Sem mais nada. Boa.
Isto está a correr muita bem.

05 fevereiro, 2016

Surpresas

É sempre bom, principalmente no trabalho, sermos surpreendidos com um miminho.
Desta vez, um miminho da Youzz e da L'Oreal que me enviaram uma embalagem do creme de dia Revitalift Laser X3.


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...